quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Búzios - Como é jogado.

No Brasil os búzios (conchas pequenas de praia), (cawris na África eram usados como dinheiro, foi moeda corrente) são usados pelos Babalorixás e Iyalorixás para comunicação com os Orixás, como adorno em roupas dos Orixás e para confecção de alguns fio-de-contas. Também é usado em outras religiões afro-descendentes em vários países.

Métodos de Jogo



Além dos búzios pode-se utilizar outros objetos para consulta dos Orixás: Obí, Orobô, Alobaça (cebola), atarê (pimenta da costa), ossos, víceras, e outros.

O jogo com quatro búzios, mais utilizado nos rituais para perguntas, normalmente as caídas correspondem às caídas do jogo de Obi

A quantidade de búzios pode váriar de acordo com a nação, o mais comum é composto de 16 ou 17 búzios, mas o jogo com 21 búzios também é muito comum.

Alguns métodos, não se baseiam em caídas por Odú como no Merindilogun, usam outras configurações e combinações de búzios abertos e fechados dividindo-os em quatro grupos de quatro búzios (que chamam de barracão) e analisam as quatro caídas e a disposição que elas se encontram, nesse tipo de Oráculo não se fala em Odú.

Um outro método de jogo é feito com as víceras dos animais oferecidos aos Orixás, e um outro jogo que utiliza ossos de animais unicamente ou em combinação com búzios, em ambos casos também não são orientados por caídas de Odú.

Em alguns métodos o olhador (adivinho) senta-se no chão e joga na própria terra, sem toalhas e enfeites como era feito no passado, é um jogo mais simples e rústico.

Podem ser jogados apenas em uma toalha branca numa mesa, ou num círculo formado por fio-de-contas (colares) com vários objetos representativos dos Orixás ou numa peneira também com fio-de-contas e objetos.

Existem mesas de jogo simples ou sofisticadas, dependendo das posses podem conter até sinetas e objetos de ouro.

É diferente do (Opelé-Ifa), (Opon-Ifa) e Merindilogun que são orientados por caídas de Odú, antigamente mais utilizados pelos Babalawos sacerdotes de Ifá, mas recentemente muitos Babalorixás e Iyalorixás já fazem uso desses oráculos também.

JOGO DE BÚZIOS POR CAÍDA DE ODU

1 - OKANRAN

1 BÚZIO ABERTO E 15 FECHADOS
Responde: Exu

O problema é espiritual, susto, prisão, roubo, ruina, perda de tudo, negócios mal-feitos.

OBS.:Quando este Odu aparece, despecha-se imediatamente a porta, se o  cliente concordar, fazer uma limpeza de corpo (sacudimento).

2 - EJI-OKÔ

2 BUZIOS ABERTOS E 14 FECHADOS
Responde: Ogum, Ibejí e Ori (cabeça)

Brigas, prisão, casos de justiça, pancadaria, sistema nervoso abalado, vícios, bebidas, jogos de azar, problemas de saúde por vir.

3 - ETÁ-OGUNDÁ

3 BÚZIOS ABERTOS E 13 FECHADOS
Responde: Obaluaê, Ogum e Exu

Invejas, dúvidas, incertezas, homem mau, problemas sérios de saúde podendo trazer cirurgia.

4 - IORUSUN

4 BÚZIOS ABERTOS E 12 FECHADOS
Responde: Iansã

Calúnia, difamação, brigas, falsidade dentro de casa, problemas de estomago e articulação.

5 - OXÉ

5 BÚZIOS ABERTOS E 11 FECHADOS
Responde: Oxum, Xango, Obaluaê e Yemanjá

Mediunidade forte, geralmente trazem cargos elevados dentro do terreiro, se for mulher, problemas de utero,ovário e enxaqueca, se for homem problemas na próstata ou uretra.

6 - OBARÁ

6 BÚZIOS ABERTOS E 10 FECHADOS
Responde: Oxosse, Xango e Logum-Edé

No positivo, muitas possibilidades de riquezas e progresso, no negativo pode trazer coisas tristes, tais como: doenças de ordem mental, vicios e tendencias para o roubo. Calúnia, inveja, sensibilidade no estomago.

7 - ODI

7 BUZIOS ABERTOS E 9 FECHADOS
Responde: Obaluaê, Oxosse e Yemanjá

É um Odu rico para os seus descendentes, principalmente quando estes nativos são perseverantes. Possuem personalidade forte. Precisa sempre se tratar espiritualmente para obter a ajuda de Oxosse e Obaluaê. Contudo, a parte negativa é bastante acentuada, trazendo desgostos, imoralidade, e, para os doentes, trazem a morte.

8 - EJI-ONILE

8 BÚZIOS ABERTOS E 8 FECHADOS
Responde: Oxaguiãn

Calúnias, fofoca, intriga, barulhos ejós (brigas), este Odu engana até a morte. Quando aparece três vezes consecutivas no jogo de búzios, levanta-se três vezes em sua reverência. Cuidado com a pressão arterial e problemas circulatórios.

9 - OSSÁ

9 BUZIOS ABERTOS E 7 FECHADOS
Responde: Yemanjá e Inhansã

Autoridade, pessoas cuja sede de poder é tamanha que não se dão conta do caminho que trilham, para conseguir seus intentos. Problemas respiratórios, pulmões e angina.

10 - OFUN

10 BUZIOS ABERTOS E 6 FECHADOS
Responde: Oxalufãn

Doenças das mais variadas na barriga, trabalhos feitos e cemitérios, grandes perigos e vida amorosa com sérios problemas. Este Odu é velho e teimoso e não suporta a cor preta, nada para este Odu está bom.

11 - OWANRIN

11 BÚZIOS ABERTOS E 5 FECHADOS
Responde: Inhansã, Ogum e Exu.

Calúnia, perda de tudo, doença passageira, Egum em cima, muito carrego, cuidado com vícios de bebidas, tóxicos. Este Odu diz em sua filosofia: se aparece para um doente, este não deve preocupar-se, pois, segundo ele, "Quem tem que morrer, não adoece - morre logo"

12 - ELI-LAXEBORÁ

12 BÚZIOS ABERTOS E 4 FECHADOS
Responde: Xango e seus 12 Obás

Dor de cabeça, pessoa doida na familia, problemas circulatórios, distúrbios cardiovasculares. Este Odú representa a corte dos 12 Obas, sendo que seis da direita absolvem e seis da esquerda condenam e vice-versa.Tudo isso no
julgamento espiritual.

13 - EJI-OLOGBON

13 BÚZIOS ABERTOS E 3 FECHADOS
Responde:Nanã Buruquê

Inveja, dúvidas, homem mau, mulher má, costumam vencer seus problemas com muitas dificuldades, sem sorte no amor, vida perturbada, trabalhos de feitiçaria, amores impossíveis. É preciso fazer uma limpeza de corpo com bori, caso a pessoa aceite.

14 - IKA-ORI

14 BÚZIOS ABERTOS E 2 FECHADOS
Responde: Oxumarê (Bessem) e Ossanha

Doenças passageiras, normalmente seus nativos possuem um olhar malicioso e penetrante, perigosos, com pensamentos intensos. Pessoa difícil de se lidar, pois está sempre num estado pré-concebido de defesa, seu bote é certeiro  e pode ser desferido a qualquer momento. Indica tambem problemas que aparecem, desaparecem e voltam a molestar tempos depois.

15 - OGBE-OGUNDA

15 BÚZIOS ABERTOS E 1 FECHADO
Responde: Obá, Ewá, Oxumarê e Obaluaiê

Guerra, pessoas com dores nas pernas, disputa por mulher ou homem, negócios com poucas chances de vitória. Opinião instável, mudando sempre, intuitivo, engenhoso, hábil. Cuidado com as vistas, ouvido, hepatite e melancolia.

16 - ALAFIÁ

16 BÚZIOS ABERTOS
Responde: Todos os grandes Obás e os grandes Oxalás

Felicidade, lucros, heranças, viagens, coragem, audácia. É um Odu de riqueza e seus filhos gostam de viver com certo luxo e de vestir-se bem, mas é preciso tomar cuidado, pois, neste Odu, a alegria e a tristeza andam lado a lado com o pranto.

Tarô - Como pode ajudar-me?




Quando feito tradicionalmente, uma leitura de cartas de Tarô pode colocar tudo em perspectiva de uma forma clara para que a possamos entender claramente. Qualquer leitura de Tarô tem como origem uma pergunta, que quem pede a consulta faz, que nem sequer precisa de revelar a quem está a ler.

Cada carta estará ligada a elementos do passado, presente ou futuro e, com a ajuda de quem está a a fazer a consulta de Tarô, trará luz à questão que a leva à mesa.

Quer acredite ou não em coisas espirituais ou esotéricas, ou até mesmo na arte de prever o futuro, o Tarô ajuda a entender os seus pensamentos e questões. Por vezes, simplesmente, levantando alertas e mostrando situações que até então poderiam ter passadas despercebidas.

Descobrirá padrões potencialmente perigosos na sua vida e trará uma melhor entendimento de si mesma. Até mesmo a forma como coloca as perguntas pode ser alvo de estudo e, nesse campo, quem lhe está a facilitar a leitura poderá ajuda-lá em muito.

O Tarô muito mais que uma ferramenta para prever o futuro. É uma forma de entendermos o nosso passado e presente, de prestarmos atenção a pormenores que poderão nos ter passado despercebidos. Até mesmo uma ferramenta de descoberta pessoal.

O Tarô consegue mergulhar fundo em nossa vida, em nossa alma, reconstruindo o nosso momento através da disposição de suas cartas, que funcionam como janelas ou telas. De maneira impessoal, as cartas irão desvendar as situações e as energias que estão presentes em nossas vidas.

O Tarô nos traz também, uma visão mais ampla, que irá proporcionar uma maior e melhor compreensão de nós mesmos, pois conseguiremos entender as situações que vivemos agora, de forma mais clara: conhecendo desde a raiz do problema (na sua origem), até os possíveis caminhos futuros e seus prováveis desfechos.

Toda essa informação nos ajudará a descobrir quem somos, como funcionamos e, também, irá nos guiar e orientar, para que possamos fazer as melhores escolhas, conduzindo nossa vida de forma positiva e evitando que venhamos a comprometer nossa felicidade.

O mais importante da consulta com o Tarô, é que ele sempre nos apresentará as possibilidades e as probabilidades dos acontecimentos, para que possamos, nós mesmos, decidir e assim, construir a nossa vida através do exercício do maior poder que Deus nos deu: o livre arbítrio. Portanto, o oráculo não vai decidir por você, pois isso é um dever e uma responsabilidade sua. Entretanto, você conseguirá entender melhor a situação e obter uma orientação de como deve se posicionar diante dos acontecimentos de sua vida.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

COACHING - Faz a diferença!




A Federação Internacional de COACHING efine coaching como uma importante parceria entre o COACHING (palavra inglesa cuja tradução é treinador) e o cliente que ocorre em um ambiente estimulante, provocando um processo criativo de pensamento que inspira o cliente a maximizar o seu potencial pessoal e profissional. O processo de COACHING vê o cliente como ele próprio sendo o maior “expert” em sua vida pessoal e profissional. Acredita firmemente que todo cliente é criativo, inventivo, e surpreendentemente capaz.

Assim agem os grandes treinadores das equipes esportivas e dos grandes atletas, eles reconhecem o talento e incentivam o uso do seu pleno potencial nas competições. Ele acredita e confia no melhor de cada um.



QUAL É O PAPEL DO COACH NO PROCESSO DE COACHING?

Descobrir, esclarecer e alinhar com o cliente, o que ele quer atingir;
Incentivar a autodescoberta;
Elucidar gerando soluções e estratégias;
Ajudar o cliente a melhorar seus desempenho e melhorar a qualidade de sua vida;
Dar suporte para aprimorar as competências, recursos e criatividade que o cliente já tem, para que as utilize em todos os campos de sua vida;
Dar ao cliente a responsabilidade e o compromisso para realizar sua tarefa.

QUAL É O PAPEL DO CLIENTE NO PROCESSO DE COACHING?
Para que este processo tenha resultados efetivos, é fundamental que o “coachee” (chamamos de coachee o cliente que participa do coaching) seja responsável por seu próprio sucesso, e se comprometa desde a primeira reunião de coaching. Isto exige uma vontade de mudar verdadeira, maturidade para dar e receber “feedback”, e disposição sincera para experimentar diferentes e inovadoras formas de aprendizado.

QUANDO SURGIU O COACHING?
O coaching já existe há muitos séculos: ainda na Grécia Antiga, o filósofo Sócrates, por meio de perguntas, fazia com que seus discípulos interpretassem um desafio e ampliassem seu conhecimento sobre a situação. O termo coaching vem do inglês medieval “coche”, e do moderno coach – carruagem. Desta analogia, vem o conceito de conduzir alguém a um ponto desejado.

COMO SABER SE O COACHING É ALGO QUE VOCÊ PRECISA FAZER?
Para determinar se você poderia tirar proveito do coaching, comece por resumir o que espera alcançar se passasse por este processo. Quando alguém tem uma idéia bastante clara do resultado desejado, um trabalho de coaching pode ser uma ferramenta muito útil para o desenvolvimento de uma estratégia voltada ao como conseguir esse resultado com maior facilidade.

Uma vez que o coaching é uma parceria, também pergunte se você acha que é valioso colaborar para ter outro ponto de vista sobre como alcançar as coisas, se se sente atraído a considerar novas perspectivas. Além disso, pergunte a si mesmo se você está pronto para dedicar o tempo e energia para fazer mudanças reais em seu trabalho ou em sua vida. Se a resposta a estas perguntas for sim, então coaching pode ser uma maneira benéfica para você crescer e se desenvolver.

Quais são algumas das razões que alguém normalmente pode trabalhar com um coach?

Há muitas razões que um indivíduo opte por trabalhar com coaching, entre elas podemos citar:

Existe alguma coisa em jogo (um desafio, atingir um objetivo ou conquistar uma oportunidade), que é urgente, atraente ou excitante, ou todas as anteriores;
Existe uma lacuna no conhecimento, dúvida quanto às habilidades, confiança, ou recursos;
Há um desejo de acelerar os resultados e existe uma falta de clareza de como fazê-lo;
O indivíduo é extremamente bem-sucedido, e o sucesso começou a se tornar problemático;
O trabalho e a vida estão fora de equilíbrio, e isso está criando conseqüências indesejáveis;
O indivíduo não identifica ou seus principais pontos fortes e competências e não sabe qual é melhor forma de aproveitar-se deles.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE COACHING E PSICOTERAPIA?
O coaching profissional é um serviço distinto, vai centrar-se na vida do indivíduo no que se refere à definição clara de objetivos, na criação de resultados e gestão de mudança pessoal. Pode ser distinguido de terapia em diversas maneiras.

Antes de qualquer coisa é importante saber que coaching é um trabalho que apóia o crescimento pessoal, profissional e de desenvolvimento baseado na mudança individual iniciando sempre com a busca de resultados específicos. Estes resultados estão ligados ao sucesso pessoal ou profissional. Coaching tem o foco no futuro. Terapia, por outro lado, lida com a dor, com a cura de emoções, com os conflitos que ocorrem dentro do indivíduo.

O foco é geralmente na resolução de dificuldades decorrentes do passado que impedem o funcionamento emocional equilibrado do indivíduo no presente, melhorando o funcionamento psicológico global ajudando-o a lidar com a vida presente e em circunstâncias de trabalho mais emocionalmente saudável. Os resultados da terapia incluem freqüentemente melhora dos estados emocionais / sentimentos. Embora os sentimentos positivos / emoções possam também ser um resultado natural de coaching, o foco principal está na criação de estratégias de ação para atingir objetivos específicos em seu trabalho ou vida pessoal.


QUAL A DIFERENÇA ENTRE UM COACHING E UM CONSULTOR?
Consultores são contratados por indivíduos ou organizações com a finalidade de acessar conhecimentos especializados. Enquanto o consultor tem uma abordagem variada e ampla, existe muitas vezes o pressuposto de que o consultor realizará diagnósticos de problemas e prescreverá orientações e, por vezes implementará as soluções. No coaching o indivíduo é capaz de gerar as suas próprias soluções, com o fornecimento de suporte.

A consultoria envolve a transferência de habilidades e conhecimentos técnicos. O consultor é especialista técnico no assunto. No coaching isso não acontece, pois o coach não é, e nem precisa ser um especialista na profissão do cliente. A consultoria é focada no sistema de negócios como um todo, gerando ganhos indiretos para as pessoas. O coaching é focado nas pessoas, gerando ganhos indiretos para a o sistema de negócios.

O COACHING NÃO DÁ AS RESPOSTAS, MAS FAZ AS PERGUNTAS CORRETAS!
Galileu sabiamente afirma: “Você não pode ensinar algo a um homem. Você pode somente ajudá-lo a descobrir sozinho.” O coachee aprende num processo maiêutico, onde o COACHING se utiliza de perguntas que se multiplicam, a fim de levar o COACHING  responder as suas próprias questões. Funciona como verdadeiro exercício mental, já que, utilizando seus próprios conhecimentos, o COACHING desenvolve maior capacidade associativa, otimizando recursos na estruturação de seu raciocínio e intuição.