quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

A fé pode realmente curar?


Pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) afirmam: intervenções espirituais e religiosas podem ser benéficas no tratamento de diversas doenças. A conclusão veio após o grupo, liderado por Juliane Gonçalves, mestre em psiquiatria, analisar décadas de literatura científica.

Para o estudo, foram avaliados preliminarmente 5 mil artigos nacionais e internacionais, nos idiomas inglês, português e espanhol. Desses trabalhos, 39 foram escolhidos com base na qualidade metodológica e no tipo de tratamento espiritual ou religioso a qual o paciente foi submetido. Foram aceitos casos de quem utilizou meditação, orações, serviços de capelania em hospitais, atividades em igrejas e serviços pastorais, por exemplo.

O resultado afirma: ao longo dos anos têm sido apresentadas evidências sobre a importância do auxílio espiritual e religioso no tratamento de doenças, sejam elas físicas ou mentais.

Buscar a cura

Aquele que conhece a Bíblia sabe que o resultado da pesquisa não é novidade. Em diversas passagens a Palavra de Deus mostra curas físicas e psicológicas de quem crê. Todavia, é importante ressaltar que, em todos os casos, o doente não apenas acredita como também luta e sacrifica por sua cura. Como aconteceu com o paralítico de Carfanaum, que, não podendo alcançar Jesus pela porta da casa em que Ele estava, subiu ao teto e por lá desceu.

Vendo a fé daquele homem, e para que todos soubessem que o Filho de Deus tem o poder sobre toda a Terra, o milagre foi feito. Os pecados do paralítico foram perdoados e o homem pôde andar.

A fé cura, mas é preciso lutar por isso

Nenhum comentário:

Postar um comentário